A vida volta ao normal

butter

Em 13 de junho de 2013, abri o resultado da punção e li uma linha assustadora: “compatível com carcinoma papilífero”. Olhando para trás, percebo que eram dias de muita tensão apesar da aparente tranquilidade que eu tentava demonstrar.

Hoje, passado exatamente um ano, vou fazer o teste de nivelamento na SEDA College, escola que será meu bate-ponto diário durante os seis meses de curso de inglês em Dublin, Irlanda. O sonho antigo que o carcinoma papilífero adiou se torna realidade da melhor forma possível!

O que eu quero dizer com isso é que a vida segue. Durante cerca de três meses (tempo médio do tratamento inicial), você se verá entre exames, cirurgia, recuperação, iodoterapia – ou não – e início dos hormônios. É um período chato, mas aos poucos a rotina vai se ajustando e tudo volta ao normal. A maior prova é esse blog: eu, cheia de assuntos para comentar e sem tempo de me dedicar a ele como deveria por conta das correrias da vida.

Estou curada e com um novo projeto, o Savana in Dublin. Por lá, contarei tudo sobre a nova vida em uma nova cidade, novo país, novo continente. Me visitem! :)

Continuarei a passar por aqui para responder os comentários e, quem sabe, com novos posts. Quem quiser conversar, pode mandar email para: savanacaldas@gmail.com

A troca de experiências sempre é muito rica e, se você tem Facebook, não deixe de solicitar a participação no grupo Amigas da Tireoide. São mais de 2 mil membros conversando, esclarecendo dúvidas e apoiando uns aos outros. Deixo aqui a foto de um encontro realizado em Salvador, no dia 07 de junho, com algumas pessoas super especiais que conheci através do grupo: Jordan, Agnies, euzinha e Helenita. :)

amigas da tireoide

Até logo e obrigada a todos que passaram por aqui durante este período! :)

Anúncios

Tireoidectomia – Fevereiro

Fevereiro foi corrido. Tão corrido que só hoje, dia 02 de março, em pleno carnaval bombante de Salvador, vim postar as respostas das perguntas que mais trouxeram leitores para o blog durante o segundo mês do ano. Em negrito, os termos tal qual foram digitados no Google e trazidos pra cá.

Imagem

Vamos lá? ;)

Bolo sem ovo iodoterapia – Tem um de banana que eu adoro! Clique aqui e confira a receita.

Todo mundo que tira um carcinoma da tireoide precisa fazer iodoradioterapia – Nem todos. Tumores que ultrapassam a marca de 1 cm, por exemplo, costumam ser encaminhados para este tratamento complementar. Outros fatores que influenciam: se houve invasão dos linfonodos e se o tumor não estava encapsulado (ou seja: invadiu os tecidos vizinhos). Essa resposta foi dada com base nas minhas pesquisas, mas os médicos também devem utilizar outros parâmetros que eu desconheço.

Thyrogen atrasa menstruação?  – Não que eu saiba. A minha sempre foi irregular e acabou ficando normal depois da cirurgia. :)

Café da manhã sem iodo – Banana da terra, cuscuz de milho, batata doce e aipim. Para beber: café de coador com leite em pó desnatado. Existem dietas que liberam um pão francês por dia, então use manteiga sem sal, torre e NHAM! Também dá pra comer o tal bolo de banana, bolo de cenoura, de milho… Basta se programar (coisa que eu não fiz muito bem).

Doce de morango industrializado pode dieta pobre iodo – Melhor evitar, afinal, nunca se sabe exatamente como esses doces são feitos e a chance de terem utilizado corantes vermelhos é imensa. Não sei o motivo de proibirem justamente o vermelho (e não o azul, amarelo…), mas espero trazer essa resposta em breve. ;)

Quem vai fazer iodoterapia pode comer pastel? – Mais um da ala a ser evitada. A massa leva ovos e o recheio deve utilizar sal comum, ou seja: sinal vermelho!

Imagem

Quantas sessões de iodoterapia são necessárias?  Na quimioterapia, o tratamento é feito por sessões. A iodoterapia é diferente: apenas uma sessão que dura cerca de três dias, contando com o tempo de isolamento. Já ouvi relatos de pessoas que precisaram repetir a iodoterapia anos depois, mas não acho que seja corriqueiro.

Carcinoma Papilífero atrapalha a engravidar? – Segundo a endocrinologista Patrícia Viterbo, a fertilidade não fica comprometida, desde que a dose de hormônio esteja ajustada. Clique aqui e confira a entrevista completa. E pra finalizar: lá no Amigas da Tireóide (grupo no facebook) quase todo mês alguém aparece com a notícia do primeiro (ou segundo, ou terceiro) filho.

Tireoidectomia altera libido? – Comigo nada mudou nesse aspecto, a não ser na época do hipotireoidismo, quando só queria dormir. Ou seja: depende da fase em que você se encontra. Mais detalhes sobre isso aqui.

Imagem

Como a maioria das dúvidas se refere ao período da iodoterapia, em breve teremos uma entrevista com um especialista da área. :) Prometo! Beijos e bom carnaval!

Queda de cabelo após tireoidectomia

Há tempos planejo um post sobre o assunto, mas só hoje tive a inspiração para falar sobre o tema, após ver esta figura postada no grupo Amigas da Tireóide.

Imagem

Uns jogam a culpa na iodoterapia. Outros responsabilizam a anestesia geral e tem o time que aposta no hipotireoidismo. Não sei quem está certo (ou se todos estão com a razão), mas sei que o resultado é bem esse aí: tufos e mais tufos de cabelo saindo na escova, no pente, no banho ou em uma simples passada de mão. No meu caso, além da queda de uns 30% a 40% do cabelo, tive um ressecamento intenso. As madeixas ficaram porosas, sem brilho e sem forma, cheias de frizz.

A irritação com o aspecto cabelístico era tanta, que a vontade era fazer isso:

Imagem

Mas aí o problema ia se agravar, né? Hehehe. Para resolver isso, foram receitadas vitaminas A, D e E.

O pesadelo só melhorou com sessões de cauterização Senscience e reconstrução Joico feitas no salão. Parece jabá, mas não é, no entanto, se as marcas quiserem me presentear, tô às ordens. :)  #caradepau

O que tenho feito? Cronograma capilar. Já ouviu falar? Que bom! Não sabe o que é? Então senta aí que vou explicar em linhas gerais.

O Cronograma Capilar (ou CC) é um tratamento intenso e, principalmente, regular, que busca promover a recuperação dos fios. Destaquei o regular pq é preciso ser disciplinada e ter paciência para ver os resultados.

Sabe aquelas hidratações que vc compra no mercado ou em lojas de beleza e faz em casa? É isso aí, só que ao invés de pegar uma máscara qualquer e tacar na cabeça a cada 15 dias, você vai alternar o uso de três tipos de tratamento em intervalos (BEM) menores. Já que você está aqui, vou trazer o assunto de maneira resumida, mas dá para obter muitas informações sobre o assunto em um grupo no facebook. Busque “Cronograma Capilar” e solicite a inclusão no fórum.

Voltando ao assunto: vamos conhecer as etapas? 

Hidratação – repõe a água que o cabelo perdeu e traz maciez.

Nutrição – repõe os lipídios, deixa um aspecto saudável e retém a água da hidratação.

Reconstrução – deixa os fios encorpados e fortes.

Agora que já conhece o que cada uma faz, você precisa definir o que se adapta ao seu cabelo. Ele está fraco? Aumente a quantidade de reconstruções. Não está macio? Hidrate. Está sem maleabilidade? Nutrição nele!

De quanto em quanto tempo? 

Aí entra a questão da disciplina. O que eu fazia (preciso voltar a fazer, inclusive): Reconstrução no sábado, não lavava o cabelo no domingo e, se desse, aguentava até terça, quando fazia a hidratação. Aí tentava aguentar mais dois dias até a quinta-feira, quando era dia de nutrir e, no sábado, reiniciava o ciclo. Em algumas semanas você sente a diferença e vira um vício, derrotado apenas pela preguiça.

Como saber quais produtos utilizar em cada etapa? Busque máscaras à base de:

Hidratação – Aloe Vera, Pantenol…

Nutrição – Ceramidas, manteiga de karité, abacate, argan…

Reconstrução – Queratina, colágeno, cisteína…

E pra finalizar, minhas recomendações! Sem jabá mais uma vez, mas aceitando tudo o que vier de brinde. :D

Hidratação – Head & Shoulders é minha favorita e tem um custo benefício maravilhoso. Não custa mais de R$ 10 aqui em Salvador. Aproveite e compre o condicionador também! Ah! Se quiser potencializar o efeito, acrescente uma medida da tampa de Bepantol líquido. Outra máscara tudibom é a  Oil Miracle da Schwarzkopf. Ela custa cerca de R$ 104, mas é bem consistente, rende bastante e opera milagres! Dá pra encontrar por preços menores quando entra em promoção nas lojas Beleza na Web e Cabeleza.

Imagem

Nutrição – Manteiga de Karité da Bioextratus. Custa cerca de R$ 25 e é muito potente. É minha preferida, mas também pode ser a de abacate da linha Raízes, da Ecologie. Se não tiver na sua cidade, pode comprar a Elséve de tampa laranja – Arginina.

Imagem

Reconstrução – Minha fase mais amada! :)

Recomendo a linha de reconstrução da Vizcaya + o creme de pentear (custo médio do kit – R$ 65); a dobradinha feita com a queratina líquida da Novex (cerca de R$ 10) + a máscara Anti-Age da Amend (cerca de R$ 30); E a reconstrução mais premiada do mundo (não por mim, mas por órgãos competentes), Joico K-Pak. Ela é mais cara, mas também dá pra encontrar em promoção nos sites citados acima.

Imagem

Espero que ajude e que estejamos todas com as cabeleiras lindas em março! :)

Nota 10!

Imagem

E não é que o blog atingiu as 10 mil visualizações? :)

Para comemorar o marco, em instantes teremos um post suuuuper especial e esclarecedor. Fiquem de olho! ;) 

Abraços e obrigada pela visita! 

Do Brasil ao Japão

Imagem

Foto daqui

Este é um post comemorativo! 

Sei que existem muitos blogs por aí que atingem 5.000 views em um mês, uma semana ou um dia. Foram quatro meses e alguns dias até chegar a este ponto, mas vamos combinar, né? Não estou falando de moda ou beleza, não trago dicas fitness ou de jogos e, por estas bandas, o humor é consequência. Câncer de tireoide é um assunto mais delicado e bastante específico, apesar de ter se tornado muito comum. Continuo sem saber porque não enfatizam mais o fato desta ser a quarta neoplasia maligna mais comum em mulheres. É como se só tivéssemos que prestar atenção em mamas e útero, mas as coisas não devem ser assim…

câncer de tireoide é o quarto mais comum na mulher brasileira com 10.590 casos anuais, segundo estimativas do INCA. Está atrás apenas de câncer de intestino e reto (15.960), colo do útero (17.540) e mama (52.680). A boa notícia é que a doença está sendo descoberta precocemente em 90% dos casos e, para estes pacientes, a chance de cura é próxima aos 100%. “A rotina dos exames de função de tireoide e ultrassom tem propiciado a descoberta da doença cada vez mais cedo, quando os nódulos ainda não apresentam sintomas. Isso faz da doença uma das menos letais, com taxa de sobrevida em cinco anos de 97%”, destaca Luiz Paulo Kowalski.

Fonte: AC Camargo Cancer Center

Ok, ok… vamos parar com o sermão por aqui, afinal, 5000 views pedem confetes e comemoração! :) 

narcisaaa

Estou bem satisfeita, pois percebi que meu blog está cumprindo o papel de levar informações e ajudar outras pessoas que estão passando pela mesma situação. Pode parecer simples à primeira vista, mas ajuste de hormônios, sintomas de hipotireoidismo e o pode-não-pode da dieta pobre em iodo dão um nó nas nossas cabeças. 

Agora uma pausa para as curiosidades. ;) 

  • Analisando as estatísticas do WordPress e do Google, descobri que as postagens sobre iodoterapia, direitos do paciente e cuidados com a cicatriz são as mais populares. 
  • Portugueses estão em terceiro lugar no ranking de visitantes. Medalha de prata para os Estados Unidos.
  • Já tive visitantes de Moçambique e de Cabo Verde, países que têm o português como língua oficial. Fiquei super feliz, pois comprovou que o blog está cumprindo o papel dele. :) <3 
  • A medalha de lugar mais distante vai para o Japão   -_-   <– amigos de olhinhos puxados. :)
  • Também já tive um visitante proveniente dos Emirados Árabes, mas não tenho nenhuma teoria sobre isso.
  •  Alguém não sabe expressar o que quer e chegou ao meu blog depois de procurar aliens: 

Imagem

Pra finalizar: outubro foi um mês estranho para mim e para esse blog. Apesar de só ter tido duas postagens, bateu o recorde de visitas, trazendo um sentimento de shame on me. Existe muito a ser falado por aqui, mas perdi o foco e o ânimo por algum motivo estranho. Usei Thyrogen, fiz PCI, fiz dieta (tenho novas receitas!) e, mesmo com tanta coisa a ser dita, não trouxe nada para cá. Até pensei em fazer um post intitulado “O lado ruim das coisas ruins” (já tinha título pq eu realmente refleti sobre o assunto), mas até agora não decifrei se era um caso de estado de espírito ou de desajuste hormonal, então achei melhor deixar pra lá. O que importa é que estou de volta. :) 

 

Eu, o INSS e o chefe do Sr. Incrível

chefe-sr-incrivel
Na época em que descobri o carcinoma papilífero, tinha duas possibilidades: receber o seguro desemprego ou o auxílio-doença. A primeira opção era mais cômoda, afinal, é um direito garantido e relativamente livre de burocracias. Conseguir o auxílio-doença daria mais trabalho, pois é preciso agendar horário, ir até um posto da Previdência Social, passar pela perícia e apresentar uma série de exames e um relatório médico. Quando a pessoa tem a “sorte” de estar desempregada e doente ao mesmo tempo, pode optar pelo benefício mais vantajoso e, no meu caso, era o segundo.

[em busca de mais informações sobre o auxílio-doença? Clique AQUI]

Reuni os documentos necessários e rumei para a agência que fica em Brotas. Vesti o meu melhor sorriso e usei todo o meu repertório da boa educação (“bom dia, tudo bem?”, “por favor”, “com licença”, “desculpe incomodar”) para ver se angariava a simpatia da galera, mas não teve jeito. A cada informação solicitada ou todas as vezes em que precisei lidar com alguém, tinha uma resposta burocrática/ríspida do outro lado.

[Pausa para reflexão] Você já esteve em uma agência da Previdência Social? Eu nunca tinha sequer passado pela calçada e me espantei com o que vi. Não vou me alongar falando da falta de cortesia da maioria dos funcionários e do sucateamento da estrutura. O que chamou mesmo a atenção foi ver idosos e pessoas com sérias dificuldades de locomoção tendo o mesmo atendimento que eu – que consigo andar e falar de maneira independente. Não tem uma fila de prioridade nem nada. É por ordem de chegada e todo mundo no mesmo balaio. [fim]

Passei por três perícias médicas em pouco mais de dois meses. Na primeira e na última, os peritos mal olharam pra mim. Deve existir alguma coisa no ar que faz com que as pessoas evitem o contato visual a todo custo.

E onde entra o chefe do Sr. Incrível nessa história?

No filme, Gilbert Huph é o diretor da seguradora onde o Sr. Incrível trabalha. O herói da história, ainda contaminado pelo desejo de fazer o bem, encontra brechas para conceder os benefícios para as pessoas e isso tira a felicidade do pequeno antagonista. Para ele, o importante é “ajudar o NOSSO pessoal” e o resto que se dane.

Por lá, vi um monte de Gilbert Huphs. Todos em busca de uma brecha para não conceder o benefício que, diga-se de passagem, é um direito meu. O que ouvi da perita na minha 2ª ida ao INSS foi que a doença existia (cêjura?), mas não era incapacitante. De fato, não é. Posso andar, falar e realizar a maioria das atividades normalmente, mas dá pra esconder a condição de um possível contratante? Não. E quem contrataria alguém que vai passar 15 dias afastada para a recuperação de uma cirurgia e talvez passe mais 30 com hipotireoidismo (e seus efeitos) 10 em isolamento? Rai ai…

Para fechar a história: finalmente me concederam o auxílio-doença. Também, né? Não tinha como ser diferente. Como dizer “não” para uma pessoa que foi operada há cinco dias e ainda está com os pontos no pescoço?

Por essas e outras é bom estar bem informado. Para isso, contarei com a ajuda da Cássia Montouto no próximo post. Ela é Assessora Jurídica do Instituto Oncoguia e editora do site Direito à Saúde.

Um mês de descoberta(s)

Há exatos 30 dias descobri o câncer de tireóide.

O tempo realmente é relativo. Já fiz tantas coisas que a sensação é de que passaram-se 3 ou 4 meses. Estive em quatro consultas com três médicos diferentes, perdi uma infinidade de horas na espera dos consultórios e da agência da Previdência Social (essa experiência merece um post exclusivo), visitei centenas de sites e troquei informações com um monte de pessoas. Ainda assim, a sensação é de correr-correr-correr e não sair do lugar.

Bem desse jeito...

Bem desse jeito…

Mas hoje não é dia de lamentação. A Clara Corrêa, do blog Simplificando, passou por uma experiência parecida e enviou o link de um texto maravilhoso escrito por ela. A vontade é colar aqui na íntegra, no entanto, recomendo que visitem o blog para ler o relato completo (aqui). Aproveitem para passear pelos outros posts super interessantes (destaque para a série Desafio do Fim do Mundo). ;)

Chega da falatório. Corta para a mensagem da semana vida:

“(…) Só agora eu consigo ver com uma clareza absurda que certas coisinhas são só coisinhas, e que não tem absolutamente nenhum sentido se prender a isso como se fosse algo importante. O importante é ter saúde, ter família, ter amigos e ter amor. Quem tem isso não precisa de mais nada.

Sim, estou com medo e tenho que me controlar diariamente para não pensar no “e se…”. Mas medo não é problema. Medo faz parte do jogo. O negócio é ganhar dele. E quando isso acontece, você fica mais forte e vê que seus limites estão muito além do que você imaginava, como em uma corrida de aventura ainda mais real. Não é isso que determina seu nível de felicidade. São aquelas pessoas de quem eu falei lá em cima que ditam isso. E se for assim, meus amigos, eu posso assegurar que sou a pessoa mais feliz do mundo!

Resumindo, sabe aquela coisa de “um empurrão faz você ir pra frente”? É por aí. Levei um empurrão, e to catando ficha até agora, mas to sentindo que quando as coisas voltarem ao normal estarei metros à frente de onde estava antes desse vendaval. E espero profundamente poder retribuir todo esse amor, que jamais imaginei receber com tanta intensidade e de tanta gente, da forma mais sincera e verdadeira possível.

E espero também que você, que está lendo isso agora, nunca precise receber um empurrão desses para descobrir essas coisas. Em vez disso, aproveite. Mas não é pra aproveitar amanhã. É hoje, é agora, é a todo o momento. Esqueça as pequenas apurrinhações, elas são pequenas! Pare de tentar controlar tudo. Coloque na cabeça que você não controla nada, nem a sua vida, quanto mais a dos outros! Let it be!”.