O que foi 2013?

brabuleta

Há seis anos vinha em uma curva ascendente de felicidade. Em 2006, passei no vestibular; Em 2007, terminei o primeiro ano de faculdade; Em 2008,  consegui o primeiro estágio e, em 2009, o primeiro emprego; 2010 foi marcado pela bolsa de estudos da ANDI e pela nota 10 no TCC. 2011 e 2012 foram anos de muitas realizações profissionais. É claro que aconteceram coisas ruins, momentos difíceis, mas o saldo sempre foi muito positivo.

E o que foi 2013?

ooh

Foi o ano em que vi as regras do jogo mudarem a todo instante. O ano em que a vida trocava de curso em curvas fechadas e repentinas. O ano em que eu, mesmo não acreditando em Deus do jeito “comum”, olhei pra cima e perguntei: “tá de graça, comigo?”. Foi o ano que me tirou do passo saltitante e acrescentou uma boa dose de realismo ao meu estado de espírito. Ano de ver como me comporto diante de desafios que fogem do meu controle. Autoconhecimento level Expert.

Saldo negativo? Nem de longe!

Termino 2013 feliz e 100% recuperada. Minha experiência chegou ao fim, mas o blog vai continuar com postagens sobre acompanhamento de hormônios, evolução da cicatriz e entrevistas. Pra quem está passando pelo processo de descoberta ou tratamento, três dicas:

1 – Use o Google com moderação

2 – Respire fundo! Vai passar!

3 – Desligue desse assunto e vá assistir um filme ou curtir o feriado.

Feliz 2014!

topronta

E todas as energias positivas e bons pensamentos para a Renata Boaventura, que conheci através do blog e que vai operar no dia 02/01! : )

Anúncios

Dieta sem iodo – Hamburguespetacular!

Quem está prestes a fazer iodoterapia e tem que encarar um período de dieta conhece muito bem o tamanho da vontade de comer coisas proibidas. Na minha época, a chamada Junkie Food (que eu batizei de “Comida do Mal”) liderou a lista de desejos. Essa receita é ideal para quando bate aquela vontade de se jogar em um hamburgão. Vamos lá!

hamburguer-horz

Hamburguespetacular!

Ingredientes:
500 gramas de patinho moído (dizem que a carne de 2ª é mais saborosa, mas sou fresca com gorduras e nervos)
1/2 cenoura ralada fininha
1 dente de alho ralado
sal especial à gosto
Farinha feita com 04 biscoitos cream cracker – escolha o que tem menos sódio (pode substituir por amido de milho)

Modo de preparo: Essa receita é pá-pum! Pegue a carne, coloque num prato e abra com as mãos (limpas, hein! pfvr!) até deixá-la parecendo um disco de pizza. No centro, coloque todos os ingredientes, exceto a farinha de biscoitos, e misture. Quando a carne estiver bem incorporada aos outros ingredientes é que entram os cream crackers moídos. Eles surgem pra dar liga na gororoba, em substituição ao ovo. Já a cenoura serve pra dar “sustança” e não lhe deixar com aquela sensação de “já acabou?” quando estiver comendo.

Tudo certo aí? Então basta separar a mistura e modelar a carne de acordo com sua preferência de tamanho e altura. Vale lembrar que não é legal deixar muuuito fininho pq ele pode desmanchar. A altura de um dedo é legal.

Frite em óleo de milho ou de canola (não pode ser de soja, hein! Faz parte da restrição). A dica de ouro é fazer vários, embalar individualmente com saco plástico e congelar. É um salva-larica danado! :)

Sugestões de acompanhamentos: Pão (algumas dietas permitem a ingestão de uma unidade por dia), arroz ou aipim frito. E um como de refrigerante de limão para acompanhar! :)