O Google como o melhor amigo (ou não)

google

Minha primeira atitude ao abrir o resultado da punção foi pesquisar no Google (via 3G, para dar um tempero na história e aumentar a angústia) o que era o tal carcinoma papilífero. A princípio, pularam vários links com o título “Saiba tudo sobre o câncer de tireóide” e eu já pensei em encomendar caixão e vela. Lógico que mudei de ideia minutos depois, após ler em dois ou três sites que eu tinha a “melhor” opção a se ter nesse caso.

Passei dois dias lendo tudo o que encontrava pela internet e foi graças a essas informações que pude ter a tranquilidade necessária para expor a situação e falar sobre o assunto sem deixar escorrer dois rios São Francisco pelo rosto. Tudo muito lindo até aí.

SÓ QUE tem o lado ruim. No início do mês, estive na Delfin do Hospital São Rafael para realizar o último dos exames pré-operatórios. O resultado saiu cerca de uma hora depois e acusou um linfonodo aumentado e suspeito. O que fazer? Google neles! E lá vieram mais e mais estudos e relatos sobre esvaziamento cervical e metástase.

Minha reação:

gobackinmommy

Depois de respirar fundo umas 40 vezes e de perguntar se alguém do grupo facebookiano Amigas da Tireóide (aliás, um ótimo espaço para troca de informações) tinha tido algo parecido, achei melhor esperar a visita ao cirurgião. Na consulta, deixei pra entregar esse exame por último e fiquei prestando atenção nas feições dele em busca de alguma denúncia. Anos e anos brincando de detetive me deixaram com um talento nato para analisar caretas. De fato. A expressão ficou mais séria e ele pediu que refizesse o exame com uma especialista de sua preferência. Mais espera, mais dúvidas, mais agonia.

Hoje (15/07) passei o dia na Delfin do Itaigara. Cheguei um pouco depois das 06h30 e só consegui uma senha para o turno da tarde. Retornei à clínica por volta das 13h45 e saí de lá por volta de 18h40, ou seja: perdi o dia. A sorte foi ter encontrado outras duas mulheres com o mesmo caso, pq aí ficamos batendo papo e trocando experiências.

Pra encurtar a conversa: o exame de hoje tirou a dúvida e os linfonodos são do bem. Nada de metástase, nada de esvaziamento cervical. Uhuu! : )

Lição da semana: use o Google com parcimônia.

Anúncios

Uma resposta em “O Google como o melhor amigo (ou não)

  1. Pingback: O que foi 2013? | Carcinoma Papilífero – e agora?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s