Um mês de descoberta(s)

Há exatos 30 dias descobri o câncer de tireóide.

O tempo realmente é relativo. Já fiz tantas coisas que a sensação é de que passaram-se 3 ou 4 meses. Estive em quatro consultas com três médicos diferentes, perdi uma infinidade de horas na espera dos consultórios e da agência da Previdência Social (essa experiência merece um post exclusivo), visitei centenas de sites e troquei informações com um monte de pessoas. Ainda assim, a sensação é de correr-correr-correr e não sair do lugar.

Bem desse jeito...

Bem desse jeito…

Mas hoje não é dia de lamentação. A Clara Corrêa, do blog Simplificando, passou por uma experiência parecida e enviou o link de um texto maravilhoso escrito por ela. A vontade é colar aqui na íntegra, no entanto, recomendo que visitem o blog para ler o relato completo (aqui). Aproveitem para passear pelos outros posts super interessantes (destaque para a série Desafio do Fim do Mundo). ;)

Chega da falatório. Corta para a mensagem da semana vida:

“(…) Só agora eu consigo ver com uma clareza absurda que certas coisinhas são só coisinhas, e que não tem absolutamente nenhum sentido se prender a isso como se fosse algo importante. O importante é ter saúde, ter família, ter amigos e ter amor. Quem tem isso não precisa de mais nada.

Sim, estou com medo e tenho que me controlar diariamente para não pensar no “e se…”. Mas medo não é problema. Medo faz parte do jogo. O negócio é ganhar dele. E quando isso acontece, você fica mais forte e vê que seus limites estão muito além do que você imaginava, como em uma corrida de aventura ainda mais real. Não é isso que determina seu nível de felicidade. São aquelas pessoas de quem eu falei lá em cima que ditam isso. E se for assim, meus amigos, eu posso assegurar que sou a pessoa mais feliz do mundo!

Resumindo, sabe aquela coisa de “um empurrão faz você ir pra frente”? É por aí. Levei um empurrão, e to catando ficha até agora, mas to sentindo que quando as coisas voltarem ao normal estarei metros à frente de onde estava antes desse vendaval. E espero profundamente poder retribuir todo esse amor, que jamais imaginei receber com tanta intensidade e de tanta gente, da forma mais sincera e verdadeira possível.

E espero também que você, que está lendo isso agora, nunca precise receber um empurrão desses para descobrir essas coisas. Em vez disso, aproveite. Mas não é pra aproveitar amanhã. É hoje, é agora, é a todo o momento. Esqueça as pequenas apurrinhações, elas são pequenas! Pare de tentar controlar tudo. Coloque na cabeça que você não controla nada, nem a sua vida, quanto mais a dos outros! Let it be!”.

Anúncios

6 respostas em “Um mês de descoberta(s)

  1. … mais um da série: ” A arte de fazer mamãe chorar”.
    Mó orgulho de vc, Beea, tamo junta, vú?
    Alóvil :)

    PS – escrito em autêntica linguagem de main.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s